Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/11144/3610
Title: A avaliação de práticas de reabilitação e integração psicossocial e de formação de técnicos de Educação e Saúde em instituições da Áustria: o aspecto diagnóstico para intervenção em casos de alunos e famílias com experiência migratória.
Authors: Figueiredo, Sandra
Fernandes da Silva, Carlos
Keywords: Diagnóstico
Intervenção
Integração psicossocial
Alunos
Famílias migrantes.
Issue Date: 2007
Publisher: Universidade do Minho
Citation: Figueiredo, Sandra Deolinda Andrade de Bastos; Carlos Fernandes da Silva. A avaliação de práticas de reabilitação e integração psicossocial e de formação de técnicos de Educação e Saúde em instituições da Áustria: o aspecto diagnóstico para intervenção em casos de alunos e famílias com experiência migratória. In Atas do Congresso Internacional de Intervenção com crianças, jovens e famílias. , x-x, Minho: Universidade do Minho, 2007.
Abstract: A inovação que entidades de Educação e Saúde austríacas delineiam na abordagem de práticas de intervenção e reabilitação psicossocial na sua comunidade desperta para a consciência da necessidade de países como Portugal seguirem novos métodos e aplicação mais conscientizada de técnicas e competências no atendimento e promoção da saúde mental e bem estar das suas populações. Em virtude da avaliação/observação do funcionamento de várias instituições do país austríaco, foi oportuno verificar como é feita a validação de competências, planificação e supervisão de Formação, financiamentos e relatórios finais de Projectos de inserção e reabilitação psicossocial, a estrutura da organização e práticas dos Serviços destinados à intervenção com crianças, jovens e famílias. Nesta intervenção, de forma geral, os sujeitos com experiência migratória directa ou indirecta são entendidos como um público susceptível de necessidades especiais de acompanhamento na sua aprendizagem física, psicossocial, cultural e académica. Aqueles podem tornar-se alunos de risco na sua aprendizagem académica e na adaptação sócio-cultural e psicológica devido a factores tais como stress, ansiedade, baixa motivação, depressão, atitudes negativas, acompanhados de um locus de controlo interno extremo, manifestações desenvolvidas aquando da chegada ao país de acolhimento e/ou traumas provocados pela vivência directa ou não de experiências desagradáveis no país de origem, partilhadas pelas respectivas famílias. Acreditamos que um trabalho de diagnóstico, nas escolas, em relação a estes factores psicológicos (e competências gerais académicas) seja o mais adequado para iniciar a intervenção bem-sucedida nestes alunos de modo a promover um crescimento psicossocial e académico positivos. Neste tipo de intervenção, também as respectivas famílias e as escolas terão de ser formadas para estimular, intervir e aceitar técnicas de intervenção, bem como aceitar e contribuir para a criação de uma equipa que integre diferentes profissionais para actuar nas escolas na fase de diagnosis e, se necessário, na intervenção que aquela determine.
Peer reviewed: no
URI: http://hdl.handle.net/11144/3610
Appears in Collections:CIP - Livros e Capítulos de Livros

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
artigo I congresso Internacional Intervenção com crianças, jovens e famílias..pdf258.73 kBAdobe PDFView/Open


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Currículo DeGóis 

Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.