Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/11144/3280
Title: A construção do conceito de Paz pelo Conselho de Segurança
Authors: Kowalski, Mateus
Keywords: Paz
Conselho de Segurança das Nações Unidas
narrativas da paz
legitimidade
Issue Date: 17-Nov-2011
Publisher: OBSERVARE. Universidade Autónoma de Lisboa
Abstract: O Conselho de Segurança das Nações Unidas detém, nos termos da Carta das Nações Unidas, a principal responsabilidade na manutenção da paz e segurança internacionais. De entre os poderes que a Carta confere ao Conselho de Segurança para o cumprimento desta sua responsabilidade, os consagrados no capitulo VII são os de conteúdo mais amplo e impositivo permitindo a aplicação de um vasto rol de medidas que podem ter um profundo impacto no membro da comunidade internacional das quais seja alvo, nomeadamente medidas que envolvam a acção militar. A aplicação de uma daquelas medidas pressupõe que num momento prévio o Conselho de Segurança determine a existência de uma situação de ameaça à paz – a mais frequentemente invocada –, de ruptura da paz, ou de acto de agressão. A paz é um conceito operativo que despoleta e fundamenta grande parte da actividade do Conselho de Segurança. A conceptualização da paz pelo Conselho de Segurança é, pois, determinante para em cada situação legitimar a sua acção e determinar as medidas a aplicar. Contudo, este é um conceito que sofre de grande indeterminação conferindo, assim, prerrogativas de decisão muito amplas. Neste quadro, o presente estudo pretende analisar a evolução da conceptualização da paz pelo Conselho de Segurança desde a sua revitalização no início dos anos 1990 até aos dias de hoje. Para tal, será examinado o reportório das resoluções adoptadas pelo Conselho de Segurança, tendo em consideração a situação em causa, o contexto em que a paz é invocada e as medidas adoptadas. É argumento deste estudo que não existe uma coerência na conceptualização da paz pelo Conselho de Segurança. A análise do reportório permite concluir que os diversos entendimentos da paz invocados pelo Conselho de Segurança não têm um referente claro numa mesma construção teórica da paz que sirva de enquadramento. Antes, o conceito de paz é mobilizado de forma algo discricionária para preencher um discurso de legitimação. Consequentemente, é a própria acção do Conselho de Segurança que fi ca fragilizada com prejuízo para a sua capacidade de decisão e para a efi cácia das medidas adoptadas.
Peer reviewed: yes
URI: http://hdl.handle.net/11144/3280
ISBN: 978-989-8191-53-3
Publisher version: http://observare.autonoma.pt/conference/images/stories/conference%20images%20pdf/S1/Mateus_Kowalski.pdf
Appears in Collections:I CONGRESSO INTERNACIONAL DO OBSERVARE

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Mateus_Kowalski.pdf313.88 kBAdobe PDFView/Open


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Currículo DeGóis 

Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.