Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/11144/5646
Title: Burnout, regulação emocional e atitudes perante a morte no cuidador formal do doente idoso
Authors: Santos, Maria Rui Pacheco Martins
Advisor: Pires, Catarina Tomé
Keywords: Envelhecimento
Cuidador Formal
Burnout;
Desregulação Emocional
Atitudes perante a morte
Issue Date: 10-Oct-2022
Abstract: Introdução: A população mundial está cada vez mais envelhecida devido aos progressos da medicina, consequentemente torna-se indispensável a colaboração de pessoas formadas, i.e., de cuidadores formais (CFs) destinadas a prestar cuidados a idosos. Os CFs tendem a ser indivíduos com elevado grau de exigências e com uma elevada aproximação do processo da morte, o qual pode impactar negativamente com a capacidade de cuidar (burnout), influenciando as estratégias de regulação emocional (RE). Objetivo: O objetivo deste estudo foca-se em explorar os níveis de burnout, RE e atitudes perante a morte dos CFs e, ainda, averiguar a existência de diferenças com o grupo de controlo (não cuidadores – NCs). Método: Trata-se de um estudo quantitativo, transversal e comparativo, contando com uma amostra de 300 participantes, dos quais 150 são CFs de idosos em instituições e 150 são indivíduos NCs. Relativamente à bateria de instrumentos de avaliação, foi utilizado um questionário sociodemográfico, o The Copenhagen Burnout Inventory (CBI), o The Emotion Regulation Questionnaire (ERQ) e o Death Attitude Profile – Revised (EAPAM). Resultados: Os resultados obtidos neste estudo revelaram que os participantes do grupo de CFs têm baixos níveis de burnout, usam mais estratégias de Supressão Emocional (SE) (comparativamente com o grupo de NCs, embora as diferenças não sejam estatisticamente significativas), e utilizam com maior frequência atitudes de aceitação perante a morte (comparativamente aos NCs). Já o grupo de NCs revela baixos níveis de burnout (embora superiores aos dos CFs, entanto, não são significativos), usam mais estratégias de Reavaliação Cognitiva (RC) (comparativamente com o grupo de CFs, embora os resultados não sejam significativos) e utilizam uma atitude perante a morte neutral. Podemos verificar ainda, que existem associações significativas entre o burnout e a atitude do Medo, e ainda, entre a SE e o Evitamento. O que significa que quando o burnout aumenta, a atitude do Medo perante a morte também aumenta, assim como, quando a SE aumenta, o Evitamento também aumenta. V Conclusão: Embora existam evidências de que os CFs são indivíduos vulneráveis a desenvolver problemáticas do fórum psicológico e emocional, como o burnout e desregulação emocional, tal não se evidenciou no presente estudo. A presença do fenómeno da morte é uma constante neste grupo profissional, no entanto, os mesmos adotam um perfil de aceitação, o que pode servir de proteção para estes profissionais. Quanto às implicações teóricas, podemos referir que este estudo permitiu ficar a conhecer de forma mais aprofundada as variáveis (burnout, RE e atitude perante a morte) e a relação entre elas, nos CFs. Relativamente às implicações práticas do estudo, os resultados obtidos deste trabalho podem ajudar a desenhar estratégias psicossociais e psicoeducativas com o intuito de potencializar a qualidade de vida
URI: http://hdl.handle.net/11144/5646
Thesis Degree: Dissertação de Mestrado em Psicologia. Piscologia clínica e de aconselhamento
Appears in Collections:DPS - Dissertações de Mestrado

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Maria Santos Dissertação_de_Mestrado_Maria_Santos_20160259_pdf.pdf1,05 MBAdobe PDFThumbnail
View/Open


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpaceOrkut
Formato BibTex mendeley Endnote Logotipo do DeGóis Logotipo do Orcid 

Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.