Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/11144/5195
Full metadata record
DC FieldValueLanguage
dc.contributor.advisorLaneiro, Tito-
dc.contributor.authorÓ, Íris Silva do-
dc.date.accessioned2021-10-04T13:59:55Z-
dc.date.available2021-10-04T13:59:55Z-
dc.date.issued2021-05-14-
dc.identifier.urihttp://hdl.handle.net/11144/5195-
dc.description.abstractDurante as últimas décadas, a qualidade do ambiente de trabalho tem-se revelado um fator de extrema importância para as empresas e organizações de todo o mundo, uma vez que o mesmo é um fator de promoção da saúde mental dos trabalhadores (Agência Europeia para a Segurança e Saúde no Trabalho, 2012). Ao nível nacional, a literatura no âmbito das Comunidades Terapêuticas é praticamente inexistente, sendo que essa lacuna aumenta quando colocamos o foco nas variáveis organizacionais e nos profissionais que diariamente desempenham funções nestas instituições. Para colmatar essa ausência, efetuámos um estudo onde analisámos o compromisso organizacional, a civilidade e a saúde mental nos profissionais de Comunidades Terapêuticas. A nossa investigação tem como objetivo compreender se o compromisso organizacional afeta positivamente a saúde mental e a civilidade, se a saúde mental influência positivamente a civilidade e, por último, avaliar se a civilidade medeia a relação entre o compromisso organizacional e a saúde mental. O estudo contou com uma amostra de 213 participantes, sendo todos profissionais que trabalham atualmente nas Comunidades Terapêuticas portuguesas (médicos, psicólogos, assistentes sociais, monitores, cozinheiros, entre outros). Para tal, aplicámos os instrumentos na versão adaptada à população portuguesa da Affective Commtment Scale, Continuance Commitment Scale e Normative Commitment Scale (Nascimento, Lopes & Salgueiro, 2008), da WCS (Osatuke et al., 2009), na versão portuguesa ECT (Nitzsche, 2015) e da escala de saúde mental do MOS SF-36v2 (Ware et al., 1993) na versão validada para a população portuguesa (Ferreira, 2000a, 2000b). Os resultados do nosso estudo estão enquadrados nas hipóteses apresentadas, ou seja, o compromisso organizacional tem uma influência positiva na civilidade e na saúde mental dos trabalhadores e a civilidade está positivamente associada à saúde mental dos mesmos. Por último, foi também possível observar que a civilidade medeia positivamente a relação entre o compromisso organizacional e a saúde mental.pt_PT
dc.language.isoporpt_PT
dc.rightsopenAccesspt_PT
dc.subjectCompromisso organizacionalpt_PT
dc.subjectCivilidadept_PT
dc.subjectSaúde Mentalpt_PT
dc.subjectComunidades terapêuticaspt_PT
dc.titleCompromisso organizacional, civilidade e saúde mental em profissionais de comunidades terapêuticaspt_PT
dc.typemasterThesispt_PT
thesis.degree.nameDissertação de Mestrado em Psicologia. Psicologia Clínica e de Aconselhamentopt_PT
dc.identifier.tid202732169pt_PT
Appears in Collections:DPS - Dissertações de Mestrado

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Dissertação Iris.pdf1,52 MBAdobe PDFThumbnail
View/Open


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpaceOrkut
Formato BibTex mendeley Endnote Logotipo do DeGóis Logotipo do Orcid 

Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.