Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/11144/696
Title: Grupos empresariais portugueses, da República ao Estado Novo(1910-1974). Balanço histotiográfico e novos dados
Authors: Faria, Miguel Figueira de
Mendes, José Amado
Keywords: História empresarial
História económica
Grupos empresariais
Issue Date: Sep-2011
Publisher: Universidad Pablo de Olavide
Abstract: A história empresarial em Portugal tem as suas raízes no século XIX e na primeira metade do século XX. Contudo, foi na segunda metade deste século e, em particular, nas últimas três décadas que aquela mais se desenvolveu. Começou por se afirmar no âmbito bancário – por iniciativa das instituições, recorrendo aos próprios funcionários, nem sempre familiarizados com a metodologia da investigação histórica –, para posteriormente vir a interessar igualmente a outros sectores económicos e a investigadores profissionais, ligados às universidades e/ou a centros de investigação. A maior parte das obras publicadas, salvo raras excepções, reporta-se a empresas consideradas individualmente ou aos seus fundadores. Todavia, nos últimos anos têm vindo a despertar atenção as famílias e as grandes empresas familiares, assim como os grupos económicos, muitos deles constituídos com base familiar. Como foi sublinhado por Maria Antónia P. de Lima – que estudou um grupo de famílias ligadas a grandes empresas –, quase todas as famílias com que trabalhou estão a compilar a história das suas famílias ou das empresas, acrescentando: «A elaboração de histórias de família e de histórias de empresa tem uma enorme importância, pois cria uma espécie de versão oficial dos acontecimentos mais marcantes, contribuindo assim, decisivamente, para a consolidação do projecto dinástico das famílias». Como nota a autora, há casos em que é um elemento da própria família que elabora a sua história, como sucedeu com família Ferreira Pinto Basto que criou a Vista Alegre, em 1824 (BOBONE, 1997). Ainda segunda a autora, «a maior parte destes trabalhos é elaborada, sobretudo, a partir de duas perspectivas: a) enaltecer o carácter empreendedor, dinâmico e exemplar dos fundadores ou de alguns dos seus sucessores; b) fornecer ferramentas que sirvam de “manual de sobrevivência” a essas empresas e a essas famílias, por parte de empresas de consultoria, especializadas nesta área» (LIMA, 2003: 51 e 131). Trata-se, porém, de um tipo de investigação ainda relativamente recente e que urge prosseguir, para melhor se compreender a evolução económica,social e política da história mais recente do país. Também na Faculdade de Economia da Universidade Nova de Lisboa se encontra em curso um projecto de investigação sobre algumas das grandes empresas/grupos do Estado Novo, coordenado por Álvaro Ferreira da Silva e queintegra outros investigadores. Na presente comunicação far-se-á um balanço historiográfico sucinto da investigação efectuada e, em seguida, focar-se-ão a origem e a evolução de alguns grupos económicos relevantes, durante a I República, o Estado Novo e no período de transição do pós-25 de Abril de 1974.
Peer reviewed: no
URI: http://hdl.handle.net/11144/696
Publisher version: http://www.aehe.net/xcongreso/pdf/sesiones/grupo/grupos%20empresariales%20postugueses,%20da%20republica%20ao%20estado%20novo.pdf
Appears in Collections:CICH - Comunicações em conferências
DH - Comunicações em conferências
BUAL - Comunicações em conferências

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
grupos empresariales postugueses, da republica ao estado novo.pdf229.66 kBAdobe PDFView/Open


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Currículo DeGóis 

Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.