Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/11144/610
Title: Monsanto sobre Lisboa
Authors: Castro, André Arfwedson Vieira
Orientador: Mateus, Francisco Aires
Mateus, Manuel Aires
Moreno, Joaquim
Keywords: palimpsesto
paisagem
miradouro
mobilidade
Issue Date: 28-Oct-2014
Abstract: Monsanto apresenta-se hoje como um território expectante. A sua história conta-se através de uma sobreposição de acções desconexas, o que resultou num parque ambíguo e em larga medida hermético. “A primeira e primordial arquitectura é a geografia” 1 - À questão geográfica, somam-se muitas outras, mas no caso de Monsanto ela é uma questão crucial. É primordial desde logo porque é um problema a resolver. A acentuada topografia de Monsanto impõe-se como uma das principais dificuldades ao uso do parque. Monsanto carece de uma espacialidade contínua e pensada - a sua paisagem perceptiva é confusa, como resultado de operações inacabadas e mal sobrepostas. O parque carece também de ligações eficientes, alternativas ao automóvel, à Lisboa urbana que o rodeia e que está separada por uma série de barreiras que tornam a maior parte dos limites de Monsanto intransponíveis ao peão. O projecto dá resposta a estes problemas, tendo em vista um melhor uso do parque, potenciando as qualidades inegáveis deste território. 1 Paulo Mendes da Rocha; Exame para o cargo de Professor Titular de Projeto de Arquitetura da FAUUSP.
Peer reviewed: no
URI: http://hdl.handle.net/11144/610
Appears in Collections:DA - Dissertações de Mestrado
BUAL - Dissertações de Mestrado

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Monsanto sobre Lisboa.pdf163.39 MBAdobe PDFView/Open


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Currículo DeGóis 

Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.