Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/11144/4244
Title: Never work! Housing for the young in Almirante Reis
Authors: Pető, Márton
Orientador: Moreno, Joaquim
Mateus, Francisco Aires
Keywords: Produtividade
Trabalho
Lazer
Artesanato
Productivity
Labour
Work
Leisure
Craft
Issue Date: 4-Jun-2019
Abstract: Nunca trabalhe! Na rotina diária de dormir, trabalho e lazer, a sociedade moderna dependia demais do trabalho, tornando se escrava do mundo moderno. Celebrar o trabalho no tempo livre é um desenvolvimento recente, trabalho misturado com tempo para a família, religião, em outras palavras, civilização desdobrada em jogo. As crises e os desequilíbrios do trabalho são o legado da Revolução Industrial, em que a vida se dividiu em trabalho e não-trabalho. Estamos à beira de uma revolução tecnológica e social que deixará milhões sem emprego. Automação, inteligência artificial e aprendizado profundo estão a ameaçar a sociedade que foi definida pelo capitalismo nos últimos 150 anos. Embora tenha produzido desenvolvimento e abundância sem precedentes no mundo, nos últimos 30 anos, com mercados desregulados, a riqueza se concentra em poucos, enquanto a desigualdade aumenta, a classe média está a desaparecer. O dogma de que a próxima geração viverá melhor do que a anterior já não existe. As pessoas vão se afastar do trabalho, a questão é como compensar os milhões de pessoas irritadas. Se a maioria da sociedade não tiver acesso ao emprego, o trabalho não pode ser a única medida de sucesso que dá sentido a um indivíduo. A renda básica universal é uma ferramenta de equilíbrio, ao dar dinheiro para as pessoas gastarem, o conceito de oferta e demanda continua em execução. A longo prazo, com uma rede de segurança que cobre as necessidades básicas, a sociedade pode evoluir mesmo no seu tempo livre. Um mundo sem empregos definitivamente não será um mundo sem trabalho. Numa economia compartilhada, o papel do arquiteto mudará. Peritos e profissões mudam, portanto, a arquitetura como disciplina também. Projetar para uma sociedade mais acelerada e mutável é um desafio, os prédios sobrevivem a suas funções, ocupar uma casa pode acontecer de muitas maneiras diferentes, estruturas familiares clássicas vão além daquelas que conhecemos agora. Construir para o futuro significa construir para durar, projetar para acomodar mudanças, preparar-se para reutilizar e adaptar-se à arquitetura atual, dando aos edifícios antigos uma nova vida.
Never work! In the daily routine of sleep, work and leisure modern society relied too much on work, making it the master of the modern world. Celebrating work over free time is a recent development, work blended with family time, religion, in other words, civilization unfolded in play. The crises and the imbalances of work are the legacy of the Industrial Revolution, in which life got compartmentalized in work and non-work. We are on the verge of a technological and societal upheaval that will leave millions without jobs. Automation, artificial intelligence, and deep learning are threatening the society that was defined by capitalism for the last 150 years. While it has brought about unprecedented development and abundance in the world, in the last 30 years with deregulated markets that wealth concentrates in very few hands, while inequality rises, the middle-class is disappearing. The dogma that the next generation will be living better offthan the previous is gone. People will be turned away from work the question is how to compensate those angry millions. If the majority of society will not have access to employment, work cannot be the only measurement of success giving meaning to an individual. Universal basic income is a tool to level the field, and by giving free money to people to spend, the concept of supply and demand keeps running. In the long run, with a safety net covering one’s basic needs, society can again unfold in play. A world without jobs will defi nitely not be a world without work. In a shared economy, the role of the architect will change. Experts and professions change, therefore architecture as a discipline will too. Designing for a more accelerated, ever-changing society is a challenge, buildings outlive their functions, occupying a house can happen in a lot of different ways, family structures go beyond the classical that we know now. Building for the future means building to last, to design and prepare to accommodate change and adapt to current architecture by reuse, by giving old buildings new life.
URI: http://hdl.handle.net/11144/4244
Appears in Collections:DA - Dissertações de Mestrado

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Marton Peto.pdf163.12 MBAdobe PDFView/Open


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Currículo DeGóis 

Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.