Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/11144/1927
Title: A tendência para a privatização da violência
Authors: Correia, Pedro Pezarat
Issue Date: 2005
Publisher: OBSERVARE. Universidade Autónoma de Lisboa
Abstract: Desde que, com o Tratado de Westefália-Münster de 1648, nasceu o modelo do Estado moderno na Europa que depois se estenderia à escala global, a gestão da violência como instrumento do poder, no interior dos espaços políticos através das polícias e face ao exterior através das forças militares, constituía encargo público. Por isso Max Weber caracterizou o Estado como “(...) única fonte do direito à violência” que “(...) reclama para si (...) o monopólio daviolência legítima”. Regra que conheceu excepções, mesmo na era do Estado jacobino e centralizado. Onde as tarefas militares e policiais eram algo promíscuas como, por exemplo, nos impérios coloniais, o Estado delegava nas grandes empresas majestáticas a administração da violência.
URI: http://hdl.handle.net/11144/1927
ISBN: 972-8892-28-4
Publisher version: http://janusonline.pt/2005/2005_4_1_4.html
Appears in Collections:OBSERVARE - JANUS 2005 - A guerra e a paz nos nossos dias

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
artigo_janus2005_4_1_4.doc220 kBMicrosoft WordView/Open


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Currículo DeGóis 

Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.