Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/11144/1879
Title: Tradução, adaptação e contributo para a validação da bateria Luria-DNA para a população portuguesa: um estudo sobre os défices cognitivos associados ao VIH/SIDA.
Authors: Castro, Cláudia
Orientador: Hipólito, João
Keywords: Vírus da Imunodeficiência Humana (VIH)
Sindrome da Imunodeficiência Adquirida (SIDA)
Funções Neuropsicológicas
Luria-DNA
Issue Date: 29-Jul-2015
Abstract: A realidade das pessoas que são portadoras do Virus da Imunodeficiência Humana (VIH) e com o Síndrome da Imunodeficiência Adquirida (SIDA) vem sofrendo mudanças significativas ao longo de quase quatro décadas. A terapêutica antirretroviral (TAR) promoveu o aumento das taxas de sobrevida das pessoas infectadas. Ainda assim, a invasão do VIH no cérebro ocorre desde os primeiros momentos da entrada do vírus no organismo, com consequências incontornáveis. Os prejuízos das funções neuropsicológicas ocorrem desde os défices mais leves aos casos de demência associada à SIDA. Para o desenvolvimento desta investigação, que pretende analisar os défices e o comprometimento neuropsicológico nos adultos portadores do VIH, foi necessário, ao nível metodológico, uma operacionalização em dois estudos. O estudo preliminar (não-clínico) consiste na tradução e adaptação da bateria Luria - Diagnóstico Neuropsicológica para Adultos (LURIA-DNA), de Manga e Ramos (2007) para a população portuguesa. Foram realizadas 103 avaliações neuropsicológicas numa amostra populacional sem antecedentes clínicos neurológicos ou psiquiátricos nos três níveis de escolaridade a que o instrumento se destina: até o 12º ano, alunos universitários e licenciados (mestres e doutores inclusivé). No estudo principal foram realizadas as avaliações neuropsicológicas de 40 pessoas portadoras de VIH e SIDA, tendo-se considerado os três níveis de escolaridade abrangidos pela Luria-DNA. Numa perspectiva psicométrica, os dados encontrados no estudo preliminar impossibilitaram a confirmação da estrutura factorial do instrumento, observando se um efeito de tecto (ceiling effect) na maioria dos itens. Relativamente à amostra das pessoas portadoras de VIH os resultados, após a determinação da estrutura factorial da escala, revelam que os participantes do grupo sintomático obtêm, na generalidade, valores inferiores aos do grupo assintomático, sendo essa diferença estatisticamente significativa nas subescalas de Percepção Visual, Orientação Espacial, Linguagem compreensiva, Memória Lógica e Atividade Conceptual. Relativamente ao tempo de diagnóstico, à medida que o tempo avança, os défices cognitivos aumentam especificamente ao nível da Percepção Visual e da Memória Lógica. De uma maneira geral, foi constatada uma correlação significativa negativa para todas as áreas. Uma primeira análise de clusters indica melhores resultados correlacionados com o grupo com menor tempo de diagnóstico. A segunda análise de clusters sugere resultados melhores para o grupo com maior número de licenciados para a Orientação Espacial, Linguagem e Desenhos Temáticos e Textos. Esta investigação confirma, através da bateria Luria-DNA, os défices cognitivos nas pessoas portadoras de VIH. Sabendo-se que a infecção pelo VIH se desenvolve em pontos multifocais no cérebro, é legítimo afirmar que investigações minuciosas e aprofundadas ao nível do funcionamento cognitivo são ainda relevantes, principalmente nas pessoas assintomáticas.
Peer reviewed: no
URI: http://hdl.handle.net/11144/1879
Appears in Collections:DPS - Teses de Doutoramento
BUAL - Teses de Doutoramento

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Tese Cláudia de Castro 2015.pdf1.93 MBAdobe PDFView/Open


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Currículo DeGóis 

Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.