Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/11144/146
Title: Museu na segunda linha de defesa da Juromenha: Vigilância e fronteira
Other Titles: Museum on the second line of defense of Juromenha: surveillance and frontier
Authors: Vicente, Alexandre Carlos Guerreiro
Orientador: Mateus, Manuel Aires
Bacchetta, Anna
Moreno, Joaquim
Mateus, Francisco Aires
Keywords: Vigilância
Fronteira
Paisagem
Torres
Issue Date: 2012
Abstract: No Sudoeste do país, onde a raia alentejana é esboçada pelo Rio Guadiana está a vila de Juromenha. A vila, antes uma zona de tensão, Praça-Forte de um sistema defensivo mais vasto de apoio a Évora e de defesa a Lisboa, dissipa-se hoje como uma silênciosa sentinela do tempo e da paisagem. Radica-se numa referência, a fortaleza e os seus possíveis planos de alteração e expansão, nomeadamente no projecto da autoria do Major Brandão de Sousa, em Dezembro de 1817. Portugal vivia, tal como a Europa, um período de tensões sociais geradas pela governação inglesa. Na raia alentejana, a condição de nacionalidade de Olivença ainda era uma situação pendente. Como resposta a esta condição e aos parcos meios disponíveis na Praça-Forte de Juromenha; o Major Brandão de Sousa elaborou um projecto para a Linha de Obras Provisórias à maneira de campo de batalha entrincheirado se devia adicionar-se à mesma Praça para aumentar a sua força. Dotaria assim Juromenha de uma maior capacidade de resposta face à situação não resolvida de Olivença. A tectónica deste projecto seria a mesma da arquitectura militar do Sul da Península Ibérica desde a ocupação romana, a taipa militar; material disponível, durável para posteriormente, caso fosse necessário, ser revestida por pedra e como tal, consolidada como linha defensiva abaluartada. Este trabalho pretende reflectir sobre os diversos aspectos da condição de limite, fronteira e vigilância, procurando enaltecer a paisagem como um lugar de contemplação, instabilidade e mudança. A proposta pretende não só valorizar esta ideia de retrospecção sobre o conceito de paisagem, mas também criar algo pela qual o próprio lugar se identifica.
Peer reviewed: no
URI: http://hdl.handle.net/11144/146
Appears in Collections:DA - Dissertações de Mestrado
BUAL - Dissertações de Mestrado

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
dissertacao_alexandre_vicente.pdf132.6 MBAdobe PDFView/Open


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Currículo DeGóis 

Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.