Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/11144/1179
Title: Um estrangeiro em família: ser surdo como diferença linguística
Authors: Joca, Terezinha Teixeira
Orientador: Junior, Francisco Silva Cavalcante
Hipólito, João
Keywords: Deficiência
Diferença
Inclusão
Surdo
Issue Date: 23-Apr-2015
Abstract: Os surdos, por muitos anos, foram submetidos à cultura ouvinte, que seguia a perspectiva médica, com a visão de serem “deficientes” e que algo lhes faltava e por isso o obrigavam a falar. Neste estudo, pretende-se apresentar uma leitura da condição surda para além dessa perspectiva médica. Ao tomar a família como copartícipe da cultura ouvinte, o estudo partiu do questionamento: “como a família inibe e ou potencializa o sujeito surdo em sua cultura?” E, em busca de respostas, objetivou averiguar que influência a família tem na constituição do sujeito surdo, na cultura surda. Desse modo, a investigação parte do pressuposto que havia a cultura ouvinte e a cultura surda, as quais atravessavam a relação do surdo e família. Com isso, para realização do estudo, optou-se por uma pesquisa qualitativa que recorreu às metodologias participativas e às orientações etnográficas, como forma de alcançar os discursos do surdo e obter dados sobre seu mundo e sua cultura. Como técnica complementar, recorreu-se ao grupo focal, a fim de obter dados mais aprofundados sobre esse sujeito e sua cultura, através dos surdos e de seus familiares. Além disso, o estudo teve como referencial teórico autores da Abordagem Centrada na Pessoa, da cultura, da cultura surda e da família – Gaylin, Laborit Minuchin, Rogers, Sacks, Skliar, Quadros, Strobel, Wagner entre outros. E, para análise dos dados, fez-se uso do Nvivo como instrumento auxiliar com a proposta de elencar as categorias. Finalmente, os resultados revelaram que há significativa diferença na forma como a família e o surdo se percebem; que a família reflete o que a cultura ouvinte impõe ao surdo e que isso pode levar a rigidez de postura e de percepção do surdo como um ser incapacitante. Por outro lado, se houver aceitação incondicional, a tendência é o desenvolvimento e autonomia do sujeito surdo. A partir de então, percebe-se a relevância deste estudo por contribuir com a compreensão de uma população tão peculiar e gerar literatura com a temática do surdo e a família, a qual se apresenta de forma escassa.
Peer reviewed: no
URI: http://hdl.handle.net/11144/1179
Appears in Collections:DPS - Teses de Doutoramento
BUAL - Teses de Doutoramento

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Tese T.Joca Versão Final pós prévia de júri.pdf1.69 MBAdobe PDFView/Open


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Currículo DeGóis 

Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.